INSS Autônomo – passo a passo para pagar GPS

Publicidade

INSS AutônomoPagar o carnê INSS como autônomo é uma boa alternativa para garantir a aposentadoria por tempo de contribuição, mesmo estando desempregado. Ou seja, você não precisa, necessariamente, trabalhar como autônomo para pagar o carnê INSS.

Em tempos de home office, o termo autônomo deu lugar para o globalizado freelancer. Mas o conceito dos dois é o mesmo: alguém que não tem vínculo empregatício com outra empresa ou pessoa física. Por outro lado, há alguns anos, já é possível possuir um CNPJ trabalhando dessa maneira: o chamado MEI ou microempreendedor individual. Abaixo você tem mais informações sobre o pagamento do carnê INSS autônomo.

Publicidade

inss-autonomo

Como Pagar INSS Autônomo – veja se você pode pagar a GPS como autônomo

Para ter acesso à aposentadoria é necessário que o cidadão brasileiro contribua durante um determinado período de tempo para a Previdência Social. O trabalhador com carteira assinada tem o INSS descontado em folha, mensalmente. Mas como contribuir se você trabalha como autônomo? Como você pode se aposentar se não tiver folha de pagamento para ser descontado o INSS? Você pode acessar o carnê de pagamento INSS para autônomo aqui.

Antes de tudo, vamos ver uma lista dos profissionais que são considerados como autônomos para o INSS:

  • Professor particular;
  • Coach;
  • Vendedor ambulante;
  • Redator/copywritter;
  • Encanador;
  • Pintor;
  • Técnico de manutenção de computadores;
  • Cuidador de pets;
  • Babá;
  • Consultor;
  • Cabelereiro;
  • Manicure;
  • Chaveiro;
  • Cozinheiro.

O autônomo é aquele profissional que atua por conta própria, não tem vínculo empregatício com outra pessoa jurídica ou pessoa física, sem local, dia ou horário de trabalho pré-estipulado. Esse profissional também determina o próprio valor do trabalho prestado. Em alguns casos, podem ser confundidos com MEI’s ou com profissionais liberais. Isso, apesar de não possuírem exigência de certificações ou habilitações para desempenhar a função para a qual foram contratados, diferentemente dos profissionais liberais.

Publicidade

Contribuição INSS Autônomo – benefícios do contribuinte da Previdência Social

A contribuição INSS autônomo dá direito a você ser um segurado da Previdência Social e acesso a alguns benefícios. Veja os benefícios que a Previdência Social oferece aos segurados:

  • Auxílio-acidente;
  • Aposentadoria por idade;
  • Aposentadoria por invalidez;
  • Pensão por morte;
  • Auxílio-doença;
  • Aposentadoria por tempo de contribuição;
  • Auxílio-reclusão;
  • Salário maternidade;
  • Salário família;
  • Reabilitação profissional.

Valor INSS Autônomo – veja como você pode contribuir

O valor INSS autônomo 2020 tem 2 tipos de contribuição disponíveis. Você deve escolher de acordo com o que você estiver planejando para a sua aposentadoria. Acesse o carnê INSS autônomo aqui. Veja quais são os tipos de contribuição INSS do autônomo contribuinte individual:

  • Contribuição 1163 – Esse código é para quem opta pelo plano simplificado. O plano simplificado dá direito somente à aposentadoria por idade e o valor é de 11% do salário mínimo e você receberá o valor de um salário mínimo de aposentadoria (esse código é utilizado para quem contribui mensalmente, mas se você optar por contribuição trimestral, deverá utilizar o código de contribuição 1180);
  • Contribuição 1007 – Esse código é para quem opta pelo plano completo, com todos os benefícios da Previdência Social, assim como à aposentadoria por idade e por tempo de serviço. O valor da contribuição será de 20% do salário, limitado ao teto da previdência, que, em 2020, está no valor de R$ 6.101,06 (esse código é utilizado para quem contribui mensalmente, mas se você optar por contribuição trimestral, deverá utilizar o código de contribuição 1104).

Há, ainda, a possibilidade de pagamento do carnê INSS para quem presta serviços a pessoas jurídicas. Veja quais são os tipos de contribuição INSS do autônomo que presta serviços a pessoas jurídicas:

  • Contribuição 1120 – Mensal – Com dedução de 45%;
  • Contribuição 1147 – Trimestral – Com dedução de 45%.

É importante lembrar que nessa modalidade o autônomo deve deduzir 45% da contribuição mensal. Já a empresa contratante deverá descontar 11% do valor pago durante o mês relativos à contribuição do INSS.

Sempre que for necessário, você pode mudar o tipo de contribuição. Para isso, basta somente alterar o código INSS de contribuição durante o preenchimento da GPS.

Acompanhe abaixo o passo a passo para o pagamento do carnê INSS como autônomo.

Passo a passo – como emitir e pagar a GPS

Veja o passo a passo para pagar o carnê do INSS como autônomo:

  • Para pagar INSS como autônomo você precisa do número do PIS, já que será inscrito como contribuinte individual. Esse número é o mesmo do NIT, que você encontra na Carteira de Trabalho – CTPS. Também é o mesmo número do NIS – Número de Integração Social, para quem é inscrito no Cadastro Único, que dá acesso aos programas de assistência social do governo federal;
  • Se você ainda não tem nenhum desses, faça a sua inscrição no PIS – Programa de Integração Social, acessando o site do INSS por aqui;
  • Na sequência, escolha o percentual ou alíquota de contribuição, conforme os códigos acima;
  • Emita a GPS – Guia da Previdência Social – para pagamento;
  • Efetue o pagamento da Guia da Previdência Social – GPS – em uma lotérica ou qualquer agência bancária.

É importante lembrar que em alguns casos, o pagamento do carnê INSS autônomo não é vantajoso. E, conforme for o seu faturamento mensal, pagar INSS MEI é um valor menor e pode oferecer benefícios semelhantes. Para isso, estude bem seu faturamento e faça um planejamento de sua aposentadoria, traçando um paralelo entre as duas situações (contribuinte autônomo x contribuinte MEI).

Não se esqueça: planeje agora para que sua aposentadoria possa ser mais tranquila.